...

Central de atendimento ao Técnico

0800 016 1515

Generic selectors
Somente resultados exatos
Buscar em títulos
Buscar no conteúdo
Post Type Selectors

CONHEÇA O CRT DA SUA REGIÃO:

Opinião: o ensino técnico é importante para o Brasil?

Texto enviado por um usuário do site www.brasilescola.com

Normalmente as discussões acerca dessa modalidade de ensino eram deixadas para debate depois de esgotados os assuntos referentes à educação; porém, o ensino técnico continua em pauta e deve permanecer no centro das discussões sobre as mudanças educacionais, que derrubam a barreira entre o “instruir” e o “educar”. Quase todos os ideais que sustentam as reformas educacionais brasileiras destacam a importância do ensino técnico, que não pode ser encarado como um programa de caridade do governo destinado aos jovens cidadãos em desvantagem social – como erroneamente pensam alguns educadores –; muito menos ser visto como uma jogada para diminuir a disputa pelo ensino superior – como acreditam, também erroneamente, outros estudiosos. O ensino técnico tem que existir e ser valorizado, com acesso e qualidade, porque necessitamos de técnicos com alto padrão de excelência em todas as esferas da sociedade; deve ser expandido e atualizado constantemente, porque nossa mão de obra precisa de qualificação e enfrenta grandes problemas para se adaptar às mudanças nas formas e relações de trabalho.

Devemos lembrar que tornar os trabalhadores habilitados para o mercado de trabalho não é responsabilidade das empresas. Entretanto, elas podem: prover treinamento para que seus funcionários se adaptem às inovações; fazer com que eles entendam que é preciso aprender e aprimorar; ensiná-los a pensar como sujeitos ativos sobre o que e como exercem a função que, direta ou indiretamente, afetará a sociedade na qual estão inseridos; orientá-los para que não se tornem seres robóticos ou meros reprodutores de uma missão empresarial, mas possuidores de habilidades e conhecimentos.

Essas responsabilidades também cabem às instituições de ensino, principalmente do setor público afinadas com o mercado de trabalho, sem jamais se esquecerem de manter a autonomia como formadores de cidadãos e trabalhadores.

O Brasil precisa que seus filhos tenham melhor escolaridade, uma profissão que os afastem da criminalidade, de maneira a aumentar a autoestima e contribuir para o desenvolvimento social, econômico e sustentável. Respondendo a pergunta que abre esse artigo: sem nenhuma dúvida, o ensino técnico é a mola mestra para um país que busca mais trabalho, crescimento e justiça social.

Fonte: SINTEC-SP em Revista

 

 

 

 

 

 

Últimas notícias

CFT capacita equipes de fiscalização do CRT-03

Projeto itinerante desenvolvido pela Diretoria de Fiscalização e Normas do CFT, treina equipes do regional que abrange os estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Sergipe.
Ler mais...

CFT terá expediente especial durante jogos da Seleção Brasileira

Portaria emitida pela presidência da autarquia federal acompanha orientação do Ministério da Economia e estabelece horários especiais de atendimento nos dias de jogos do Brasil…
Ler mais...

CFT implementa ferramenta para aperfeiçoar análise de TRTs

Nova funcionalidade permite que equipes de fiscais acompanhem o estágio de análise dos Termos de Responsabilidade Técnica (TRT) no Sistema de Informação dos Conselhos dos…
Ler mais...

Opinião: o ensino técnico é importante para o Brasil?

Texto enviado por um usuário do site www.brasilescola.com

Normalmente as discussões acerca dessa modalidade de ensino eram deixadas para debate depois de esgotados os assuntos referentes à educação; porém, o ensino técnico continua em pauta e deve permanecer no centro das discussões sobre as mudanças educacionais, que derrubam a barreira entre o “instruir” e o “educar”. Quase todos os ideais que sustentam as reformas educacionais brasileiras destacam a importância do ensino técnico, que não pode ser encarado como um programa de caridade do governo destinado aos jovens cidadãos em desvantagem social – como erroneamente pensam alguns educadores –; muito menos ser visto como uma jogada para diminuir a disputa pelo ensino superior – como acreditam, também erroneamente, outros estudiosos. O ensino técnico tem que existir e ser valorizado, com acesso e qualidade, porque necessitamos de técnicos com alto padrão de excelência em todas as esferas da sociedade; deve ser expandido e atualizado constantemente, porque nossa mão de obra precisa de qualificação e enfrenta grandes problemas para se adaptar às mudanças nas formas e relações de trabalho.

Devemos lembrar que tornar os trabalhadores habilitados para o mercado de trabalho não é responsabilidade das empresas. Entretanto, elas podem: prover treinamento para que seus funcionários se adaptem às inovações; fazer com que eles entendam que é preciso aprender e aprimorar; ensiná-los a pensar como sujeitos ativos sobre o que e como exercem a função que, direta ou indiretamente, afetará a sociedade na qual estão inseridos; orientá-los para que não se tornem seres robóticos ou meros reprodutores de uma missão empresarial, mas possuidores de habilidades e conhecimentos.

Essas responsabilidades também cabem às instituições de ensino, principalmente do setor público afinadas com o mercado de trabalho, sem jamais se esquecerem de manter a autonomia como formadores de cidadãos e trabalhadores.

O Brasil precisa que seus filhos tenham melhor escolaridade, uma profissão que os afastem da criminalidade, de maneira a aumentar a autoestima e contribuir para o desenvolvimento social, econômico e sustentável. Respondendo a pergunta que abre esse artigo: sem nenhuma dúvida, o ensino técnico é a mola mestra para um país que busca mais trabalho, crescimento e justiça social.

Fonte: SINTEC-SP em Revista